Aglomerando

Aglomerando - Agregador de conteúdo

007 - Quantum of Solace - Novo filme do espião segue consolidando Daniel Craig


Nenhum outro ator causou tanta polêmica na maior série de filmes até hoje. Daniel Craig foi anunciado pelos produtores como novo 007 em Cassino Royale. Os fãs gritaram, espernearam e prometeram boicotes. É que já fazia bons anos que os filmes do espião pareciam sem fôlego e energia. O protagonista anterior, Pierce Brosnan, era sem sal e sem graça. Quando Cassino Royale reiniciou a franquia, surpreendeu até mesmo o maior otimista. Recorde de bilheteria absoluto, o filme mostrou um Bond iniciante, muito mais perigoso e mortal, que justificava o 00(licença para matar) antes de seu número. A ação desenfreada do filme, salvo a ótima interpretação de Craig, redimiram a escolha ousada e nada convencional do ator e da temática do filme. 

Quantum of Solace começa diretamente onde acabou Cassino Royale. Após a sequência de abertura e os créditos iniciais de hábito, descobrimos que a organização que chantageou e matou Vésper no filme anterior é muito maior e mais perigosa do que parece. Resta a Bond descobrir e tentar derrubá-la a qualquer preço.

Além de ser o filme mais curto da história do personagem, Quantum Of Solace não é um Cassino Royale. Nem por isso deixa de ser um grande filme. Toda a ação comedida no filme anterior é desenfreada e liberada nessa nova aventura. Se antes Bond pilotou no máximo alguns veleiros e Aston Martins, dessa vez ele pilota mesmo um avião(em uma das melhores sequências do filme). A trama é conspiratória no melhor estilo "não se pode confiar em ninguém" e nesse ponto o filme atinge seu objetivo. Ação quase initerrupta no melhor estilo Jason Bourne.

Nas atuações, destaque para Daniel Craig, novamente, que leva o filme nas costas. O cara é simplesmente a encarnação perfeita da personagem. Quando M o chama de Bond pela última vez, parece cair como uma luva para ele. É cedo para dizer, mas o ator tem chances de se tornar um dos maiores Bond de todos os tempos.

De ressalva, a direção de Marc Forster tem alguns problemas que irritam um pouco. As cenas de luta são muito cortadas. Com a intenção de privilegiar a velocidade, o diretor acaba por se exceder, fazendo cenas de menos de 3 segundos, algumas vezes. As lutas seguem o mesmo padrão, sem sequência ou em planos mais longos e não convence. Dava graças a Deus quando o filme recuperava o ritmo normal, sem aqueles recortes mal feitos.

O filme não é um Cassino Royale, mas segue o padrão de qualidade. Mas, ao menos não é também um "Um novo dia para morrer", por exemplo.


5 comentários:

Ninna disse...

Tá né! O fã do Craig! shaushuahsa
O melhor é o Sean!!!
Espero que ele seja realmente bom, porque eu sou fã do personagem! hehehe.

Marina Fauth disse...

Ouvi boas críticas do filme,
mas eu não gosto. Comenta umas aventuras e romanceeeeeeessssss
hehhe
bjo.

Mateus Trindade disse...

Eu ainda não vi este filme, mas se continuar na mesma batida do Cassino Royale tá ótimo. Só no Royale tem uma sequência que ele faz uns saltos meio forçados pro meu gosto, mas no geral foi perfeito.

Misael disse...

Ihhhh ele macaqueia bastante nesse filme...

Juliane Soska disse...

a última vez q tu foi assistir esse filme caiu a casa no estúdio
hahaha